Novo site do GT reúne conhecimento técnico sobre infraestrutura no Brasil

 

O site do GT Infraestrutura está de cara nova. A partir de janeiro de 2020, a página passa a reunir todas as informações relativas aos projetos e às ações da iniciativa privada e do Governo Federal para o setor, com a proposta de promover um debate qualificado sobre os modelos ideais de desenvolvimento sustentável no Brasil e para os brasileiros.

De acordo com o coordenador do GT Infra, Sérgio Guimarães, a longo prazo, o objetivo é que o site seja um local de referência onde os diversos atores sociais possam encontrar informações sobre infraestrutura no Brasil. “O GT é composto por mais de 40 organizações socioambientais e tem um corpo técnico especialista no assunto. A partir de agora, todo esse conhecimento estará concentrado em um só lugar”, afirma.

Interlocução com a sociedade

O novo site do GT Infra tem como prioridade a interlocução com a sociedade brasileira e pan-amazônica, veículos de comunicação, autoridades governamentais e diferentes atores sociais envolvidos com a temática de infraestrutura.

Por meio de artigos, notícias, publicações (notas técnicas, cartas conjuntas etc) a página irá promover uma visão de que é possível o desenvolvimento econômico sem que sejam deixadas de lado as importantes questões socioambientais, além de apoiar os membros do GT na defesa de posições diante de projetos que ameaçam as comunidades e o meio ambiente.

Aqui, o leitor vai encontrar textos de análise e reflexão escritos por representantes das organizações e, na seção Infraestrutura Que Queremos, uma série de artigos, que tem como base alguns dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) propostos pela Organização das Nações Unidas (ONU), com os mais variados especialistas discutindo modelos e alternativas sustentáveis de desenvolvimento, sempre sob o prisma da garantia de justiça socioambiental.

O novo site do GT é também uma das ferramentas para que os objetivos estratégicos do grupo sejam atingidos. São eles: (1) potencializar a atuação estratégica das diversas organizações da sociedade civil; (2) fortalecer tecnicamente as comunidades locais afetadas (ou potencialmente afetadas) por projetos de infraestrutura; (3) conquistar o apoio da sociedade/opinião pública para pressionar tomadores de decisão; e (4) incidir técnica e politicamente sobre processos de tomada de decisão governamentais.

Bem-vindo!

Compartilhe::

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn